Página inicial > Todos os modelos > Chapéus de Bono

Chapéus de Bono

> Resolver problemas

Os participantes, individualmente ou em grupos, vão gerar ideias em torno de um problema, colocando um “chapéu” (modo de pensar) diferente a cada vez. Isso permitirá reduzir o impacto da crítica e do julgamento, os limites e barreiras induzidos por sua cultura (social, empresarial, etc.) em suas ideias e também incentivar a expressão do grupo de forma criativa e divertida.

Sugestões e variações

A sequência de chapéus deve ser pensada antes do workshop e adaptada de acordo com a equipe e as funções de cada um, assim como do objetivo.

  • Para realizar a resolução de um problema de outra forma, comece com o chapéu verde para colher as ideias possíveis diante do problema levantado. Em seguida, todos poderão expressar seus sentimentos graças ao chapéu vermelho (sem a necessidade de justificativa ou objetividade). Os pontos positivos das ideias apresentadas são mencionados com o chapéu amarelo e, por fim, o grupo recomeça com um brainstorming para ver se não há outra abordagem possível. Finalmente, o chapéu azul permite que você implante o plano de ação adequado.
  • Para motivar e unir uma equipe em torno de uma ideia: faça um chapéu amarelo que permita listar os pontos positivos. Continue com um chapéu preto, que listará os freios e os problemas que a equipe encontrará. Finalmente, em cada um dos problemas identificados, para contorná-los, encontre soluções com um chapéu verde!
  • Para gerar ideias: é possível reunir pessoas naturalmente “chapéus verdes ou amarelos” e depois passar para os outros chapéus. Quanto aos comentários feitos, veja a seguir como desenvolver ações.

Você pode adicionar um cartão por chapéu, na parte superior da coluna para lembrar os participantes de seu significado.

Outra forma de fazer isso é distribuir um chapéu por pessoa e cada pessoa se expressa de acordo com o chapéu que usa. É possível girar os chapéus durante a sessão.

Quadro / 
Canvas
30 a 60 min e mais
2 a 30
Especialista
Exploração
Pensar juntos sobre um problema acolhendo todas as formas de pensamento.
Permite que a emoção e o ceticismo sejam integrados ao que normalmente pode ser um processo puramente racional e abre a possibilidade de criatividade na tomada de decisões.